Secretário da Saúde descarta novo fechamento em Alagoas por causa da pandemia da Covid-19

0
8


Anúncio foi feito durante reunião com representantes dos setores produtivos. Alexandre Ayres reconheceu que houve um leve aumento dos casos da doença, mas disse que não se pode atribuir isso apenas às campanhas políticas. Em reunião com setor produtivo, Alexandre Ayres descarta novo fechamento da economia em Alagoas
Ascom Sesau
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e representantes dos setores produtivos de Alagoas se reuniram nesta quinta-feira (26) para debater o panorama epidemiológico da Covid-19 no estado. No encontro, o secretário Alexandre Ayres descartou a possibilidade de um novo fechamento dos setores econômicos, como comércio e indústrias.
Segundo o secretario, o estado registra um leve aumento de casos da Covid-19. Mesmo assim, ele assegurou que o Governo de Alagoas não vai decretar o fechamento do setor produtivo, como foi feito nas fases iniciais da Matriz de Risco.
Até esta quinta, Alagoas tinha 94.060 casos e 2.329 mortes por Covid-19
“Posso afirmar, de forma categórica, que não há possibilidade de a Sesau e o Governo de Alagoas realizarem um novo fechamento dos setores produtivos. Os números da Covid-19 cresceram, no entanto, são dados ainda muito pequenos que nos dão segurança e tranquilidade de continuar trabalhando com serenidade. Por isso, essa soma de esforços entre Governo de Alagoas e segmentos de nossa economia nos permite seguir fazendo o nosso papel de proteger a população, porém com esse importante auxílio dos setores no cumprimento das normas sanitárias que constam no Decreto Governamental que trata do Distanciamento Social Controlado”, informou Alexandre Ayres.
O secretário disse ainda que o aumento do número de casos não deve ser atribuído apenas às campanhas eleitorais nos municípios, mas também ao descumprimento do distanciamento social em outros locais de aglomerações.
“Não podemos imputar este aumento do número de casos às aglomerações causadas por campanhas políticas. As pessoas estão lotando bares, restaurantes, praias, shoppings, academias e é preciso uma colaboração mútua. Não há segredos em seguir as regras: usar máscaras, higienizar as mãos, distanciamento social e evitar as aglomerações”, disse o secretário.
Evolução epidemiológica em Alagoas
O superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, Hebert Charles Barros, também participou da reunião e destacou que a ocupação de leitos, no período de março a setembro, caiu de 80% para 20% em todo estado.
“A trajetória da Sesau no combate à pandemia da Covid-19 desde o seu início, lá em março, aponta que o governo estadual se certificou de uma eficiente estrutura de leitos exclusivos para pacientes com a doença. Foram mais de 1.300 leitos, sendo mais de 300 deles de UTI, todos regulados pela Sesau. Tivemos ocupação de até 80% dos leitos neste período. Passada a nossa sazonalidade, pois toda doença respiratória tem o seu período, independentemente do agente biológico, percebemos que em setembro as taxas de ocupação de leitos caíram para 20%”, explicou Hebert Charles.
Ele chamou atenção para o período de final de ano, que merece uma atenção especial por conta da alta temporada e da quantidade de pessoas que visitam Alagoas. E finalizou dizendo que o aumento de doenças respiratórias tende a ocorrer no final de fevereiro e no início de março.
Alexandre Ayres afirma que aumento do número de casos não se deve apenas às campanhas políticas
Ascom Sesau
Veja os vídeos mais recentes do G1 Alagoas
Veja mais notícias da região no G1 Alagoas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here