Voluntários oferecem ajuda a vizinhos impedidos de sair de casa, em Maceió, durante pandemia de coronavírus

0
9


Moradores de prédios se disponibilizam a ir fazer compras em mercados, padarias e farmácias para quem está no grupo de risco da Covid-19. Moradores de condomínios oferecem ajuda para pessoas de grupos de risco por causa do novo coronavírus
Por causa da pandemia de coronavírus, moradores de prédios e condomínios de Maceió têm se voluntariado para ajudar vizinhos idosos e com dificuldade de locomoção que fazem parte do grupo de risco. Listas propondo ajuda a essas pessoas são coladas nas áreas comuns, com nome e telefone do voluntário.
Alagoas tem sete casos confirmados de coronavírus
Veja as medidas preventivas adotadas no estado
Como se prevenir do coronavírus?
Malu Mendes e sua cunhada, Julia Cavalcante, estão em isolamento voluntário, em casa. Elas estão de quarentena em um prédio no bairro do Poço, viram a ideia da lista nas redes sociais, e resolveram ajudar aos vizinhos idosos e que não podem sair.
“Vimos que em outros estados as pessoas estavam fazendo, uma amiga minha fez isso no prédio dela aqui em Maceió e achamos importante aderir aqui também, o prédio tem muitos idosos. Estou ficando em casa, desmarquei todos os meus compromissos. Mas se alguém precisar de ajuda, sairei para compra”, explica Malu.
“Quando eu vi que os números de casos suspeitos estavam aumentando rapidamente, achei muito importante e quis colocar no meu prédio também, para ajudar as pessoas que estão no grupo de risco. Fiz isso também porque penso na minha avó, e ela poderia precisar disso também, entende?”, afirma Julia.
A estudante Victória Amorim, 19, também se inspirou em exemplos que viu nas redes sociais para sugerir ao condomínio em que mora fizesse uma lista de ajuda para idosos e pessoas em grupos de risco.
“Aqui são 6 prédios e tem muito idoso. Vi uma iniciativa no Instagram e pensei em sugerir para que o condomínio fizesse a lista. Mas o comitê do condomínio já estava providenciando”, conta Victória.
Uma vizinha que foi beneficiada pela iniciativa foi a psicóloga Dilma Lacerda. Ela precisava pagar um boleto em uma casa lotérica, mas, por causa da idade, não podia arriscar sair de casa.
Dilma Lacerda mostra boleto pago por voluntária do prédio em que mora, em Maceió, Alagoas
Reprodução/TV Gazeta
“A primeira pessoa pra quem eu liguei, a Pollyany, veio com uma alegria tão grande, uma satisfação! Ouviu meu telefonema e disse, ‘nem se preocupe, passo já aí pra pegar o boleto'”, conta a idosa.
Rafaella Malta é síndica do condomínio em que Victória mora, que fica no bairro de Cruz das Almas, e diz que outras iniciativas também foram tomadas para evitar o contágio do coronavírus entre os moradores.
“Depois que uma das moradoras teve a ideia, nós passamos o comunicado e perguntamos aos condôminos quem estava disponível para ajudar, e disponibilizamos a lista nos elevadores. Hoje isolamos toda área comum, piscinas, quadra e salão de festas”, explica a síndica.
O casal Paulo Faustino e Danúzia Ramos, com 89 anos e 77 anos, respectivamente, está isolado em casa e aprovou a iniciativa: “Nota 10”.
Dicas de prevenção contra o coronavírus
Arte/G1
Initial plugin text

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here